Lost – 5ª Temporada, 11º Episódio

lostLost – Season 5, Episode 11: Whatever Happened, Happened – 2009

Direção: Bobby Roth

Roteiro: Carlton Cuse, Damon Lindelof

Elenco: Evangeline Lilly, Josh Holloway, Elizabeth Mitchell, Daniel Dae Kim, Matthew Fox, Jorge Garcia, Ken Leung, Kim Dickens, Terry O’Quinn, Michael Emerson, Sterling Beaumon, Nestor Carbonell, Susan Duerden, Doug Hutchison, William Blanchette, Jon Gries

Um caso praticamente inacreditável em Lost, um episódio com mais respostas do que perguntas.

Depois de tomar um tiro de Sayid, o jovem Benjamin Linus está para morrer, apesar das teorias do Daniel sustentadas por Milles, de que o passado não pode ser alterado. Preocupado com a situação Sawyer acaba apelado para Jack, mas como o doutor ainda está em crise existencial e de birrinha com o mundo diz não e tá pouco se lascando se o Ben vai morrer ou não. E é ai que entra Kate, que primeiro se predispõe a doar sangue ao garoto e depois em um plano kamikase pega Ben e o leva até Richard Alpert, a única pessoa, segundo Juliet, que pode salvá-lo. Uma das grandes respostas do episódio está nesse momento, já que ao receber e aceitar curá-lo, Richard alerta a Kate, que o procedimento tirará toda a inocência de Ben, transformando aquele adorável garoto no filho de uma porca que a gente conhece.

As outras respostas do episódio envolvem Kate e Aaron. Lembram que pouco antes de saltar do helicóptero, Sawyer falou algo no ouvido de Kate? Bem, não foi eu te amo ou peidei. Sawyer pediu a Kate uma ajuda, encontrar sua filha Clementine e isso cita um outro personagem antiiiigo de Lost, a Cassidy, uma das vítimas de Sawyer, mas por quem ele teve um tererê a mais. Durante os três anos que esteve de volta ao mundo normal, Kate acabou virando amiga de Cassidy, contou a verdade sobre a ilha, tricotou histórias do Sawyer e principalmente confiou em Cassidy a verdade sobre Aaron. Mas e o Aaron, aonde que o muleque foi parar? Pouco antes de embarcar no avião da Ajira rumo a ilha, Kate procurou Carole Littleton, a mãe da Claire e abriu o jogo com a vó do garoto e preparou o caminho para entregá-lo.

Apesar de tantas respostas, as melhores cenas do episódio são as conversas físicas/filosóficas entre Hurley e Milles e a confusão mental sobre essa coisa de ir no passado mas não poder alterar nada e  das pessoas do passado não lembrarem de você no futuro e por ai vai. Auto ironia é pouco viu!!

Links

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: