Heróis

pushPush – 2009

Direção: Paul McGuigan

Roteiro: David Bourla

Elenco: Chris Evans,  Dakota Fanning, Camilla Belle, Djimon Hounsou, Neil Jackson

Esse filme só pode ser de zueira, não é possível. Primeiro porque ele é uma cópia descarada de uma cópia escrota de X-Men, o popular e péssimo “Heroes”. Segundo porque ninguém que atua nesse filme parece ter o mínimo de vontade de estar ali, isso deve ser uma inspiração de “Heroes”, o seriado com o pior elenco de toda a teledramaturgia da galáxia. Em “Heróis”, que foi o título malandrino que arrumaram aqui no Brasil, você tem um universo de pessoas com poderes especiais com nomenclaturas diferentes em um curto espaço de tempo, juro que não decorei nada e sinceramente com o excesso de ruindade é melhor nem tentar decorar.

Até a Dakota Fanning, que já fez papéis legais, nesse filme está o cumulo do ridículo. Ela não está irritante como era em “Guerra dos Mundos”, ela está ridícula, forçada ao extremo a parecer sei lá o que. Chris Evans e Camilla Belle são os rostinhos bonitos sem nenhuma qualidade de interpretação e Djimon Hounsou estava com a cabeça em outro filme.

Nick Gant (Chris Evans) é um mutante que vive escondido em Hong Kong depois que o pai foi morto por Henry Carver (Djimon Hounsou), o chefe de uma agência do governo dos Estados Unidos que controla os mutantes. Nick acaba recebendo a visita de Cassie Holmes (Dakota Fanning), uma outra mutante que pede a sua ajuda para simplesmente salvar o mundo. Cassie tem os poderes de ver o futuro e em suas últimas visões ela vê os dois mortos se não impedirem que uma maleta caia nas mãos de Henry. Além deles e do próprio Henry, um grupo de mutantes locais também está atrás da maleta e a chave para localizá-la é Kira (Camilla Belle), uma mutante com poderes de alterar as memórias e que estava sendo testada pelo governo.

É verdade que o filme tem boas cenas de ação, tomadas rápidas e cenas gravadas em uma única tentativa. O diretor Paul McGuigan usou uma técnica bacana de filmagem, que consiste em esconder as câmeras e gravar no meio da rua, dando um maior realismo a cena. Ponto para ele.

O problema mesmo é o roteiro, que é uma mistureba sem graça de história de mutantes com o que Guy Ritche faz nos seus filmes, o de um personagem muito inteligente com um plano muito ousado e que no final das contas engana todo mundo e se da bem. Com o Guy Ritche a coisa funciona, aqui não, apesar de que o próprio Paul McGuigan usou isso em “Xeque-Mate”.

Paul McGuigan mostra que tem qualidades como diretor, sabe como dar ação e agilidade a um filme, mas aqui o roteiro não ajudou.

Comments
2 Responses to “Heróis”
  1. daiane disse:

    olha,ñ assisti ainda o filme…mas estou com muita espectativa para chegar no cinema da minha cidade…..vou com amigos ou com meu namorado ainda ñ sei…..mas acho que o filme é bom….pq tem a dakota e o chris evans no elenco….tudo melhora….e esse ñ foi o primeiro filme parecido com X-MEN,muitos outros apareceram copiando dele….beijos….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: