Lunar

Moon – 2009

Direção: Duncan Jones

Roteiro: Duncan Jones, Nathan Parker

Elenco: Sam Rockwell, Kevin Spacey, Dominique McElligott

O que uma abordagem diferente não faz a uma idéia batida né!! “Moon” é um filme onde a Lua é usada pelo homem para servir de fonte de energia limpa para a Terra. 40 anos depois da primeira visita do Homem a lua, Hollywood fez com que essa coisa de ir lá, fazer testes e colonizá-la se tornasse sempre uma experiência terrível, com algum tipo de morte muito brutal reservada aos protagonistas.

Em “Moon” a Lua está ali, nós à estamos usando e Sam Bell (Sam Rockwell) trabalha para colher e enviar o que será usado como energia. Nada de monstros alienigenas ou humanos pirados assassinando seus companheiros, principalmente porque Sam trabalha sozinho.

Sam é um empregado da Lunar, a empresa líder no abastecimento de energia na Terra. Como 97% da energia da Terra vem da Lua, o trabalho de Sam é muito importante, mas ele se sai bem, tendo como único companheiro Gerty (a voz de Kevin Spacey), o computador da base. O contrato de Sam é de três anos e agora faltam apenas umas semanas para que ele retorne a Terra e reveja a mulher e a filha.

Depois que uma colheitadeira da problema, Sam deixa a base para verificar o que está acontecendo e sofre um acidente. Ele acorda algum tempo depois, mas na enfermaria da base com Gerty ao seu lado. Ainda um pouco confuso, Sam vai retomando aos poucos as atividades diárias, mas seguindo a programação de Gerty, ele não pode deixar a base e verificar porque que uma das colheitadeiras não funciona.Com a desculpa de um vazamento de gás, Sam consegue que Gerty libere a saída da base e vai em direção a colheitadeira, encontrando tudo distruído com um homem dentro de um carro. Sam fica ainda mais confuso ao verificar que o homem é exatamente igual a ele.

Assim que o Sam acidentado recobra a consciência, os dois vão tentando entender o que está acontecendo, procurando pistas pela base e indagando a Gerty, que não dá nenhuma resposta concreta. Aos poucos os dois vão descobrindo o que vem acontecendo na base e porque eles são tão parecidos.

O diretor Duncan Jones é filho de David Bowie e mostra muita qualidade em sua estreia no cinema, mas o grande destaque mesmo vai para Sam Rockwell que leva o filme sozinho e não deixa a coisa cair no tédio, uma coisa para poucos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: