Maluca Paixão

All About Steve – 2009

Direção: Phil Traill

Roteiro: Kim Barker

Elenco: Sandra Bullock, Bradley Cooper, Thomas Haden Church, Ken Jeong, Katy Mixon


Ver um filme só por causa de um nome conhecido já me trouxe sérios arrependimentos e “Maluca Paixão” entra pra lista. No caso o nome é de Bradley Cooper, que em 2009 mesmo estrelou “Se beber, não case”, a melhor comédia do ano. “Maluca Paixão” não é só maluco, como é chato ao extremo, uma façanha alcançada pela personagem de Sandra Bullock, que deixa o filme no limite do insuportável diante a tanta falação inútil.

Tecnicamente não tem muito do que falar. A direção se limita a seguir o básico, o roteiro é fraco e muitas vezes clichê. Tanto o diretor, Phil Trail, quanto o roteirista Kim Barker, têm pouquissimos trabalhos e nenhum deles conhecido.

Mary Horowitz (Sandra Bullock), é a estranha responsável pela sessão de palavras cruzadas em um jornal local, que ainda vive com os pais e não tem nada próximo ao que chamamos de vida normal. Seus pais acabam organizando um encontro as escuras com Steve (Bradley Cooper), um cinegrafista da rede CCN. Mesmo sendo inicialmente contra, Mary aceita o encontro e logo quando vê Steve pela primeira vez se apaixona. Sem nem ao menos esperar que ele ligue o carro para sair de frente da casa de seus pais, Mary ataca o cara, que mesmo assustado começa a corresponder as investidas. O problema é que Mary não cala a boca, parecendo uma maluca desorientada, coisa que assusta Steve, que arruma uma desculpa para Mary e o encontro acaba por ali mesmo. Tentando ser educado, Steve diz que gostaria de levar Mary com ele em sua viagem de trabalho, mal sabia ele que isso iria causar grandes problemas mais para frente.

Achando que Steve é o homem de sua vida, Mary acaba fazendo uma sessão de palavras cruzadas só sobre o cara. Obviamente, seu chefe não fica nada satisfeito com a idéia e ela acaba sendo demitida. Sem ter o que fazer, Mary acaba pensando naquilo que Steve tinha dito de levá-la em sua viagem e resolve ir atrás dele, começando a perseguir e até a atrapalhar o trabalho do cara.

Contando ainda com o empurrãozinho dado pelo colega de trabalho de Steve, Hartman (Thomas Haden Church), Mary segue o cinegrafista por três diferentes cidades, até na última, acaba caindo em uma mega cratera em que instantes antes, umas crianças surdas haviam sido resgatadas. O acidente acaba atraindo mais pessoas para o local e abre os olhos de Steve para Mary, que se arrepende de a ter enxotado.

Mary é tudo aquilo que a gente não gosta em um ser humano, é imbecil, não saca indiretas, fala demais e tem sempre uma respota para tudo. Se aguentar um ser humano assim já é dificil, ver um filme com um personagem assim é um suplicio. “Maluca Paixão” era um filme que poderia ter passado batido, não presta.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: